Novembro Azul reforça necessidade de exames periódicos para diagnóstico precoce de câncer de próstata

A campanha Novembro Azul acontece todos os anos para reforçar a importância da prevenção e do rastreamento para o diagnóstico precoce de doenças que acometem os homens. O tema deste ano é “Homem, seja herói da sua saúde”, buscando sensibilizar a população masculina sobre o cuidado com a saúde, especialmente a prevenção ao câncer de próstata.

O câncer de próstata não apresenta sintomas na fase inicial. Por isso é reforçada a importância dos exames para diagnóstico precoce, como o PSA, de sangue, e o toque retal.

Em outros estágios, alguns sintomas exigem atenção e podem indicar a presença da doença ou de outras disfunções, como o fluxo urinário fraco ou interrompido, micção frequente, impotência, sangue no líquido seminal, dor ou odor na hora de urinar, perda de controle da bexiga ou do intestino devido à pressão do tumor sobre a medula espinhal.

Dados

A estimativa mais recente do Instituto Nacional de Câncer (Inca) aponta 68.220 novos casos de câncer de próstata no Brasil, anualmente; no Amazonas, são esperados 580 casos. De janeiro a setembro de 2019, o serviço de Urologia da FCecon realizou 2.587 consultas urológicas.

Estigma 

A vergonha de fazer o exame de toque retal é um perigo aos homens. “Este estigma só dá prejuízo. Não fazendo os exames periodicamente, é certeza absoluta que vão fazer o diagnóstico em uma fase mais adiantada. E fase mais avançada significa tratamento mais prolongado, quimioterapia e índice de cura muito menor do que quando se faz o diagnóstico precoce”, alertou o vice-presidente da Lacc, o mastologista Jesus Pinheiro.

O médico contou que passou, em janeiro deste ano, por uma cirurgia para tratar um câncer de próstata. O procedimento foi simples por ter descoberto a doença na fase inicial.

Pinheiro destacou a importância de as mulheres encorajarem seus maridos e familiares a fazerem os exames periódicos. “Pegue na mão do seu marido e leve pra fazer os exames periódicos. Só assim vamos reduzir os casos avançados”, afirmou.