CRF-AM participa de reunião do Conselho Estadual de Saúde

A 263ª Reunião Ordinária do Conselho Estadual de Saúde do Amazonas, realizada nesta terça-feira (25), contou com a apresentação da Comissão Técnica de Fiscalização e Ações de Serviços de Saúde, que terá a coordenação da vice-presidente do Conselho Regional de Farmácia do Amazonas (CRF-AM), Luana Santana. 

Na ocasião, também estiveram presentes o presidente do CRF-AM, Jardel Inácio, e a secretária do regional Mie Muroya. O Conselho é um colegiado cuja finalidade e objetivos básicos são o estabelecimento, o acompanhamento, o controle e a avaliação da política estadual de saúde.

Em sua apresentação, Luana destacou o plano de metas da Comissão, que vai de agosto deste ano até julho do ano que vem, e tem como principal objetivo acompanhar como o Estado ou os municípios atendem às necessidades da população local. 

De acordo com a coordenadora da comissão, os membros irão visitar unidades de saúde do Estado ou dos municípios em co-gestão, interagindo com os pacientes, trabalhadores e com a administração da unidade para conhecer a real prestação dos serviços de saúde em cada localidade. 

Como forma de iniciar os trabalhos, a comissão irá elaborar uma agenda de visitas as unidades, aplicar um check-list das principais necessidades, elaborar relatórios que serão apresentados ao CES/AM e, também, encaminhar sugestões de adequações necessárias à Susam. 

Assistência farmacêutica

Participando como convidado da reunião, o presidente do CRF-AM, Jardel Inácio, aproveitou a oportunidade em que estava sendo discutido o repasse das verbas do Fundo de Fomento, Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI) para a estrutura de Saúde do interior para chamar a atenção para a falta de assistência farmacêutica plena em municípios do Estado.

O presidente lembrou que, em 2019, pela primeira vez, o CRF-AM fiscalizou todos os municípios do interior do Estado e verificou que ainda há unidades de saúde do interior sem a presença do profissional farmacêutico, e questionou se as verbas repassadas aos municípios também podem ser utilizadas para a contratação de pessoal.

Em resposta, o secretário Executivo de Saúde do Interior, Cássio Roberto do Espirito Santo, afirmou que as verbas poderiam sim ser utilizadas neste sentido, abrindo um importante canal de discussão para a solução deste problema ainda verificado nos municípios.